Evite transtornos na hora da compra ou venda

O uso do cheque pré-datado vem perdendo espaço e vindo como a preferencia do consumidor o cartão de crédito. Mas quem utiliza cheques, tanto consumidor quanto a empresa, precisa de atenção para que nenhuma das partes saiam lesados. 

Devido a facilidade de aquisição de cartões de crédito o cheque esta cada vez mais em desuso e o comercio restringe cada vez mais o cheque como forma de pagamento. Porém ele ainda tem seus usuários e suas vantagens, como a possibilidade de acompanhar e controlar mais as dívidas do que o cartão de credito, controlando através do canhoto ou com alguma  ferramenta que ajuda no gerenciamento de cheques.

Alguns cuidados são necessários para evitar transtornos no uso de cheques:

  • Cheques roubados podem ter assinaturas falsificadas e se não houver atenção por quem recebe o cheque pode causar uma grande dor de cabeça para ambas as partes.
  • Na hora de preencher, toda atenção é necessária, para evitar adulteração ou falsificação do documento. É importante o consumidor preencher a folha, com o cuidado de não deixar nenhum espaço em branco, e procurar evitar rubricas na hora de assinar, já que não são a caligrafia pessoal. Além disso, é interessante que seja nominal ou cruzado.

Cheque pré-datado

O Procon informa que cheques pré-datados são prazos oferecidos pelos lojistas na negociação das compras. Quem optar por essa forma de pagamento deve preencher o cheque nominal à loja ou ao prestador de serviço, exigindo o recibo ou a nota fiscal constando de maneira clara a modalidade de pagamento escolhida, o número dos cheques e as datas para depósito. Para evitar que os cheques sejam repassados a terceiros e diminuir o risco de serem descontados antes da hora, é possível escrever, após o nome do beneficiário, as expressões “não a ordem”, “não transferível” ou “proibido endosso”. Depositar cheque pré-datado antes da hora pode gerar dano moral.

Cuidados para a empresa
A grande preocupação da empresa no momento em que recebe o cheque deve ser em relação à verificação, junto ao banco, de dados de Proteção ao Crédito, sobre qual a condição do consumidor em questão. Além disso, é necessário que a empresa exija a documentação, como CPF e carteira de identidade, com a assinatura igual a dos documentos mostrados e realize um cadastro.